Nem só de ração seu cachorro deve viver! Saber quais verduras e legumes que seu cachorro pode comer ajuda a incrementar a dieta do pet.

Segundo a professora do curso de Medicina Veterinária da Anhanguera de Niterói, Ursula Raquel da Silva, para começarmos a falar sobre alimentos para os cães devemos “considerar que uma alimentação equilibrada significa ter, em uma refeição, todos os nutrientes necessários para o perfeito funcionamento do organismo”.

Essas orientações, para montar uma dieta balanceada para seu pet, você consegue com seu veterinário de confiança. Esse profissional vai fazer o levantamento do que você pode oferecer e principalmente a quantidade que pode dar ao cão por dia.

A professora da Anhanguera de Niterói completa que “um alimento é funcional quando ele afeta beneficamente uma ou mais funções-alvo no organismo, além de possuir os adequados efeitos nutricionais, de maneira que seja tanto relevante para o bem-estar e a saúde, quanto para a redução do risco de ocorrência de doenças”.

A professora de Medicina Veterinária ainda destaca que a inclusão de vegetais, legumes, frutas e cereais integrais na alimentação dos cães vem crescendo cada vez mais.

“Esse apelo tem crescido diante de problemas de segurança alimentar e da preocupação com alimentos de qualidade que atendem as necessidades nutricionais dos animais de companhia. Segundo os tutores e consumidores, benefícios ambientais e de saúde são os principais fatores para a crescente aquisição dos chamados produtos naturais para os nossos amiguinhos”, ressalta a professora.

Se oferecer verduras e legumes traz benefícios para a saúde do pet, você precisa estar atenta a quais produtos pode oferecer para seu cão.

Importante:

  • Antes de oferecer verduras e legumes para cachorros, converse com um Médico Veterinário de confiança.
  • Os legumes devem ser cozidos sem nenhum tempero antes de oferecer ao seu cachorro.
  • Amasse ou passe os legumes em um processador. Isso ajuda no processo de digestão.

Verduras e legumes que seu cachorro pode comer

De acordo com a professora do curso de Medicina Veterinária da Anhanguera de Niterói, Ursula Raquel da Silva, “legumes e verduras são também ricos em fibras, garantem vitaminas e minerais aos bichinhos e possuem ainda baixo teor calórico e de gordura. É muito positivo no sentido de evitar que o cão ganhe peso demais ou que tenha problemas nas articulações e de circulação. Ainda melhoram o sistema digestivo e ajudam a regular o funcionamento do intestino”.

Já que os benefícios são grandes, a professora Ursula fez uma lista com as verduras e legumes mais comuns que podemos oferecer na dieta dos nossos cães:

  • Abobrinha: alimento rico em vitaminas do complexo B, vitamina A, minerais como potássio, fósforo, cálcio, sódio e magnésio. Cozinhe o alimento e ofereça cortado em pequenos pedaços ao seu pet.
  • Abóbora: “é uma hortaliça muito rica em nutrientes, e amplamente utilizada na culinária. Além de ser um alimento pouco calórico, pois quase não contém gordura, a abóbora é rica em cálcio, fósforo, potássio, ferro e manganês. A abóbora contém ainda carboidratos e proteína, além de ser fonte de diversas vitaminas, como por exemplo a vitamina A, C, e E”, explica a professora do curso de Medicina Veterinária da Anhanguera de Niterói.
  • Alface: a hortaliça contém vitaminas A e C, Fósforo, cálcio e Ferro. De acordo com a professora Ursula “o cão pode comer alface em pequena quantidade, entretanto, este é um vegetal com pouco valor nutritivo. Não há qualquer contraindicação em relação ao consumo de alface por cães, desde que seja em quantidade moderada, ou seja, se o seu cão ingerir um pouco de alface, não há nenhum elemento perigoso nas folhas capaz de causar uma intoxicação”.
  • Batata: fonte de vitamina do complexo B e C, Ferro, Cálcio e Potássio. Ajuda no sistema imunológico, músculos, ossos e dentes. A professora do curso de Medicina Veterinária alerta para um ponto: “cuidado com a batata crua, pois possui uma toxina chamada solanina, que faz mal para a nossa saúde, assim como para a saúde dos cães. Essa substância é extremamente tóxica para os cães e pode causar vômito, diarreia e até problemas mais graves. A batata crua não pode ser oferecida aos cães, portanto o cozimento é obrigatório, pois é a única maneira de eliminar qualquer traço de solanina”, explica.
  • Batata-doce: de acordo com a professora Ursula, a batata-doce “é um alimento rico em fibras, betacaroteno, vitamina B6, vitamina C e minerais. O betacaroteno reduz o risco de doenças como o câncer, ajuda a neutralizar os radicais livres e as fibras ajudam no bom funcionamento do sistema digestivo”.
  • Batata Salsa: também conhecida como batata baroa ou mandioquinha, esse carboidrato é uma ótima opção para compor a dieta balanceada do seu pet. O alimento é rico em vitamina A, B, cálcio, magnésio, fósforo e ferro.
  • Berinjela: “a berinjela é um alimento rico em vitaminas, como a vitamina A, B1, B2 e C. Além disso, é um vegetal rico em minerais, como ferro, potássio, fósforo, cálcio e magnésio. É ainda conhecida por ajudar a controlar o colesterol e conter substâncias antioxidantes, capazes de controlar os radicais livres e prevenir doenças, como, por exemplo, as doenças cardiovasculares”, comenta professora do curso de Medicina Veterinária da Anhanguera de Niterói, Ursula Raquel da Silva.
  • Beterraba: rica em vitamina A, C e complexo B. Cozinhe a beterraba e retire a casca para oferecer ao seu cachorro. Importante: animais que têm diabetes não devem consumir beterraba.
  • Brócolis: professora Ursula nos ensina que o brócolis “é um alimento rico em antioxidantes, que são conhecidos por serem capazes de combater as células causadoras do câncer. Rico também em minerais como cálcio, potássio, ferro, zinco e sódio, o Brócolis é composto por várias vitaminas, como a vitamina A, C, B1, B2, B6 e K. O brócolis em si não é tóxico, e traz muitos benefícios a dieta de um cachorro, da mesma forma que traz para o ser humano. Na verdade, o que pode causar intoxicação é uma quantidade exagerada de brócolis na alimentação do seu cão. Brócolis contém isotiocianato, que é uma substância que pode causar irritação gástrica e, em excesso, pode causar intoxicação em cães”.
  • Cará: Assim como o inhame, o cará é uma boa opção de carboidrato para oferecer na dieta do seu cachorro.
  • Cenoura: um legume perfeito para você oferecer como petisco para seu pet. A professora do curso de Medicina Veterinária da Anhanguera de Niterói, Ursula Raquel da Silva explica que “além de ser um alimento pouco calórico, as cenouras são ricas em fibras e contêm elementos antioxidantes como a vitamina A e carotenoides, que ajudam a proteger as células do organismo. Os nutrientes da cenoura que são bons para a nossa dieta regular incluem, além da vitamina A, vitaminas C, D, E, K, B1 e B6. Vale lembrar que a cenoura cozida também pode ser oferecida ao seu cachorro, desde que você não adicione temperos ou especiarias que possam prejudicar a saúde do seu animal. Lembre-se que temperos como pimenta, alho, cebola, temperos industrializados e até mesmo o sal em excesso podem ser muito prejudiciais à saúde dos cães”.
  • Chuchu: “o chuchu é considerado um alimento muito benéfico para a saúde, e isso se aplica também aos cães. Mas, não deve ficar muito tempo cozinhando”, comenta a professora da curso de Medicina Veterinária da Anhanguera de Niterói. Ao cozinhar o alimento por muito tempo, este acaba perdendo boa parte de seus nutrientes.
  • Couve-flor: você deve oferecer couve-flor com moderação para seu cão. Esse alimento, se combinado com brócolis, por exemplo, pode fazer com que seu cachorro fique com gases. A professora Ursula afirma que “apesar de trazer muitos benefícios para a saúde, sendo importante para o combate de células cancerígenas, essa substância pode causar irritação gástrica. Se consumida em quantidades maiores, pode até causar intoxicação”.
  • Couve manteiga: alimento rico em vitamina A, C e K, Fósforo, Ferro e Cálcio. A couve deve ser cozida antes de ser oferecida ao animal.
  • Ervilha: “A ervilha fresca é um alimento muito nutritivo, que contém fito-nutrientes singulares, com propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias. Este alimento contém elementos importantes como as vitaminas do complexo B, vitamina A, C e K, e também minerais como ferro, cálcio, cobre, zinco e manganês”, ensina a professora.
  • Espinafre: pode ser oferecido com moderação! De acordo com a professora “merece atenção especial porque as folhas do espinafre contêm uma substância chamada ácido oxálico (ácido etanodioico) que, quando consumido em grandes quantidades, pode ser tóxico para os cães”.
  • Inhame: Um carboidrato muito importante para dieta do seu pet e sendo uma raiz rica em energia, fibras e vitaminas essenciais para a saúde do cão. A professora Ursula reforça que devemos “sempre de cozinhar bem o inhame e amassá-lo antes de oferecer para o bichinho”.
  • Salsinha: um ótimo tempero para dar mais sabor às verduras e legumes que cachorros podem comer. É rica em vitamina A, B1, B2, C e D.
  • Vagem: a professora da Anhanguera de Niterói explica que a vagem “é rica em vitamina C. É indicada para diminuir o colesterol, e em alguns casos,  deve ser utilizada na alimentação de cães diabéticos”.

Cuidados importantes

A professora do curso de Medicina Veterinária da Anhanguera de Niterói reforça que “legumes que não estejam maduros são proibidos pois possuem toxinas nocivas aos animais”.

A professora Ursula cita que os tutores não devem oferecer para seus cães:

Cebola e alho: “possuem dissulfeto de n-propil, capaz de causar uma severa anemia. Também podem provocar letargia, taquicardia, hiperventilação, gengivas pálidas e, em casos graves, colapso respiratório”, explica a professora.

Batata verde: “batatas que ainda não amadureceram contêm solanina e podem causar náuseas, vômitos, convulsões e, posteriormente, problemas de coração. O alcaloide desaparece depois que as batatas são cozidas”, esclarece.

Ou alerta feito pela professora Ursula é em relação à oferta de espiga de milho. “Diferente da maioria dos produtos hortícolas, a espiga de milho não digere bem no estômago do cão. Caso ele engula um pedaço grande, pode provocar obstrução intestinal, sendo que os sinais clínicos são vômitos, perda de apetite, falta de fezes ou mesmo diarreia”.

Todo cuidado é essencial para mantermos a saúde dos nossos cachorrinhos em dia, não é mesmo?

Agora que você já sabe quais são as verduras e legumes que os cachorros podem comer, confira uma lista com as frutas que você também pode oferecer para seu cão. Clique aqui e confira a lista.

Veja mais

Seu cachorro anda fazendo muita bagunça em casa?

Aprenda como educar e treinar o seu cão de forma simples, divertida e com muito carinho em apenas 5 semanas. E o melhor: o curso é 100% online!

Você precisa de apenas 10 minutos por dia, utilizando um método comprovado para transformar o seu cachorro bagunceiro em um cão companheiro, disciplinado e obediente, sem utilizar nenhum tipo de punição para isso.

Saiba mais sobre o treinamento online ⤵